Select Page

TEMA

Prevalência de Lesões Desportivas na Liga BPI de Futebol Feminino 11

RFD Nº2

PREVALÊNCIA DE LESÕES DESPORTIVAS NA LIGA BPI
DE FUTEBOL FEMININO 11

Mariana Cervaens, PhD; Flávia Bento, Ft.; Luísa Amaral, PhD

Escola Superior de Saúde, Fundação Fernando Pessoa

RESUMO

Objetivo: Analisar a prevalência de lesões desportivas em futebolistas da Liga BPI de futebol 11 e associações entre a lesão e determinadas caraterísticas biológicas e de treino. Metodologia: 118 futebolistas da Liga BPI, com uma média de 23,1 anos, preencheram um questionário individual, de forma a obter informações acerca da sua vida desportiva e existência de lesões. Resultados: A taxa lesiva foi de 4,9/1000 horas treino e 71,0% das lesões foram graves. A mudança de direção foi o maior gesto técnico causador de lesão (26,9%), sendo o joelho o local anatómico mais prevalente (30,4%), a articulação como a estrutura anatómica mais lesada (38,2%) destacando a entorse do tornozelo (26,1%). Verificaram-se várias associações entre lesão e as características biológicas e de treino. Conclusão: Na planificação do treino destas atletas deve constar um trabalho preventivo para reduzir a severidade e o número de lesões.

SUMMARY

Objective: To evaluate the prevalence of sports injuries in the Liga BPI of women’s football 11, as well as to try to understand which association exists between injury and biologic and practice characteristics. Methodology: 118 players of women’s football of BPI League, with an average of 23.1 years old, completed an individual questionnaire in order to obtain information about their sportive life and the presence of injuries. Results: The injury rate was 4,9/1000 hours of practice in which 71,0% were severe. Change of direction was the most injured gesture (26,9%), being the knee the most prevalent anatomical place (30,4%), the joint as the most injured structure (38,2%), highlighting ankle sprain (26,1%). There were also several associations between injury and biologic and practice characteristics. Conclusion: A preventive work should be included in these female athletes in order to reduce the number and severity of injuries.

PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS

Futebol feminino, lesão desportiva, fisioterapia, prevalência
Women’s soccer, sports injury, physiotherapy, prevalence

Introdução

A prática de Futebol 11 exige raciocínio, desenvolvimento físico e perícia técnico-tática para maximizar a performance desportiva. O futebol é praticado maioritariamente por atletas do género masculino (265 milhões vs. 26 milhões), sendo alvo de inúmeras investigações, com variados estudos e de prevalência e prevenção de lesões, ao contrário do futebol praticado por meninas e mulheres, desconhecendo-se o estado de arte atual nessas mesmas áreas.1,2

A região anatómica com maior incidência lesiva é o membro inferior, sendo o joelho e o tornozelo os locais mais frequentemente lesados.1,2 O aparecimento de lesões pode estar relacionado com o tipo de solicitação motora, variabilidade de movimento, frequência da atividade, envolvimento no treino, tipo de piso e de calçado, situação de jogo, gesto técnico, número de treinos, média de tempo por jogo e com a interação de múltiplos fatores de risco, quer sejam eles extrínsecos ou intrínsecos,1,3 como hormonais4 ou anatómicos.5

A realização de um trabalho preventivo de lesões minimiza a probabilidade de ocorrência das mesmas, para além de melhorar a performance, fator de extrema importância para a carreia desportiva do atleta e para o sucesso da equipa.6 É fundamental conhecer o tipo de lesões que ocorre no futebol feminino para que seja possível criar estratégias preventivas específicas e adequadas às características da modalidade. O objetivo deste estudo foi o de identificar qual a prevalência de lesões em atletas da 1ª divisão da Liga BPI de Futebol Feminino de 11 e verificar a eventual existência de associações entre a lesão e determinadas caraterísticas biológicas e de treino.

METODOLOGIA


TIPO DE ESTUDO

Este estudo é do tipo observacional, transversal de carácter descritivo.

AMOSTRA

A amostra foi constituída por 118 atletas que representam todos os clubes que disputam a Liga BPI, com idades acima dos 16 anos, sendo eles o Sporting Clube de Braga, Sporting Clube de Portugal, Clube Atlético Ouriense/Eurodemolições, Clube de Futebol Benfica, Clube de Albergaria/Durit, Valadares Gaia Futebol Clube, GDC A-Dos-Francos/Credilogo/Jns, Marítimo da Madeira, Estoril Praia, Associação Desportiva Ovarense Futebol, Vilaverdense Futebol Clube e Boavista Futebol Clube.

Foram incluídas todas as jogadoras que estavam inscritas para disputar a Liga BPI, sendo excluídas as de escalões inferiores que pontualmente treinam com a equipa principal, ou jogadoras que, exceto por lesão, tenham abandonado a competição, ou que forneceram questionários incompletos.

FUNDAMENTOS ÉTICOS

Este estudo foi submetido e aprovado pela Comissão de Ética da Universidade Fernando Pessoa. Com o questionário foi entregue o respetivo Consentimento Informado, Livre e Esclarecido, de acordo com a Declaração de Helsínquia.

Conteúdo exclusivo para subscritores

Se ainda não subscreveu a RFD, aproveite agora

Já é subscritor? Inicie Sessão

Recebemos a sua subscrição

Aguarde, por favor, até que a mesma fique concluída e poderá aceder a todo o conteúdo.