Select Page

ARTIGO

O Paradigma do Treino de Força em Crianças e Jovens: Factos e Ficção

RFD Nº09

O Paradigma do Treino de Força em Crianças e Jovens: Factos e Ficção

Filipe Maia1 · Cátia Saavedra2 · Sérgio Ferreira3 · Paulo Santiago4

1Estudante Doutoramento e Investigador · CIDESD, Universidade da Maia; 2Fisioterapeuta · Sausport, S. Mamede de Infesta; 4Estudante · Instituto Politécnico da Maia; 4Docente – UMAIA e IPMAIA e Investigador N2i – Maia.

RESUMO

O treino de força tem sido um tema altamente debatido na Ciência do Desporto. Especificamente em população juvenil, este tema está envolto em controvérsias e mitos, no entanto, a cada dia existe mais evidência a suportar estas práticas. Através de revisão extensiva da literatura, este artigo visa clarificar a temática, assim como mencionar algumas estratégias para implementação deste tipo de treino. Os resultados indiciam que o treino de força é seguro e confere várias melhorias ao jovem, seja o objetivo manter atividade física regular, combater o sedentarismo, ou potenciar o rendimento desportivo.

ABSTRACT

Strength training is currently a hot topic in Sports Sciences. Specifi cally in youth population, this thematic is surrounded by controversies and myths, however, these practices are being more scientifi cally supported everyday. Trough an extensive literature search, this article aims to clarify the thematic, as well as mention some strategies to implement strength training. The results highlight that strength training is safe for youth, and provides several benefi ts, being the objective maintain regular physical exercise, fi ght sedentarism or improve athletic performance.

INTRODUÇÃO

O termo treino de força designa uma componente do desporto concebido para aumentar força, volume muscular, potência ou resistência.1 A sua utilização pode trazer benefícios em diversas condições, seja em populações saudáveis ou em populações especiais. Recorrer a este tipo de treino permitirá ainda potenciar a performance desportiva e reduzir o risco de incidência de leões3,4, atenuar os efeitos de doenças crónicas5 ou reduzir o risco de quedas em populações idosas.6 Tipicamente, o treino de força tem por base a utilização de diferentes estratégias e materiais que oferecem resistência ao movimento, variando entre a utilização do peso corporal e elevadíssimas cargas externas1.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde8, crianças e jovens (5-17 anos) representam o escalão etário que mais tempo deveria dedicar à prática desportiva, sugerindo 60 minutos de atividade física diária. De acordo com a mesma fonte, o cumprimento destas recomendações está diretamente associado a níveis superiores de saúde e bem-estar físico, mental e cognitivo. Por outro lado, o sedentarismo é uma das causas para obesidade infantil. É estimado que os jovens passem mais de 60% do seu tempo na escola em inatividade física.7 Adicionalmente, a prevalência de jovens em sobrepeso, obesidade e obesidade mórbida em países europeus tem vindo a aumentar, tornando o sedentarismo uma preocupação real e um problema de saúde pública.8 Neste âmbito, várias estratégias poderão ser utilizadas com vista a mitigar os efeitos e prevalência do comportamento sedentário em jovens, entre as quais a implementação de rotinas de treino de força.

Já para o jovem atleta, o treino de força assume um papel determinante na melhoria do desempenho desportivo e na diminuição de incidência de lesões, dotando-o de um nível de capacitação superior.9

Conteúdo exclusivo para subscritores

Se ainda não subscreveu a RFD, aproveite agora

Já é subscritor? Inicie Sessão

Recebemos a sua subscrição

Aguarde, por favor, até que a mesma fique concluída e poderá aceder a todo o conteúdo.