Select Page

ARTIGO

O Medo, a Cinésiofobia e a Restante Zona Despercebida da Lesão

RFD Nº09

O MEDO, A CINÉSIOFOBIA E A RESTANTE ZONA DESPERCEBIDA DA LESÃO

Mafalda Toscano1 · Nuno Cordeiro2

1Fisioterapeuta · Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias Instituto Politécnico – Castelo Branco;
2Professor Doutor Coordenador na Área Científica de Fisioterapia na Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias Instituto Politécnico – Castelo Branco

RESUMO

O medo é definido como uma resposta emocional antecipatória a ameaças eminentes que pode ajudar a promover uma rápida aprendizagem adaptativa, quer por experiências diretas, observação ou instruções verbais.

Fear Avoidance (FA) e Cinésiofobia são dois conceitos de destaque quando se procura compreender a persistência dos sintomas face a um episódio de dor musculoesquelética aguda, mesmo após a recuperação dos tecidos.

FA estabelece como elemento-chave que o comportamento de prevenir, ou escapar a um estímulo adverso, sustenta-se num medo relacionado com a dor, recorrentemente associado a pensamentos catastróficos. Cinésiofobia, tem por base o medo excessivo, irracional e debilitante dirigido para o movimento e atividade.

Uma lesão desportiva provoca dor para além de outras alterações físicas, tendo um impacto psicológico no atleta, nomeadamente o medo da sua repetição. Tal, pode contribuir para o insucesso do regresso ao desporto, induzido pela diminuição da confiança e motivação, diminuição do rendimento e maior risco de repetição de lesão.

Face à influência destes fatores no regresso à prática, performance e abandono prematuro da prática desportiva, é consensual a importância da recuperação psicológica após lesão, promovendo um regresso precoce e ao nível de performance anterior.

ABSTRACT

Fear is defined as an anticipatory emotional response to imminent threats, that can help promote rapid adaptative learning, either through direct experience, observation, or verbal instructions.

Fear Avoidance (FA) and Kinesiophobia are two important concepts when trying to understand the persistence of the symptoms face to an episode of acute musculoskeletal pain, even after tissue recovery.

FA establishes as a key element that the behavior of preventing, or escaping from an adverse stimulus, is based on a fear related to pain, recurrently associated with catastrophic thoughts. Kinesiophobia is based on excessive, irrational, and debilitating fear, directed towards movement and activity.

A sports injury causes pain in addition to other physical changes, having a psychological impact on the athlete, such as the fear of its repetition. This can contribute to the failure of returning to sport, induced by a decrease in confidence and motivation, a decrease in the performance and a greater risk of repeat injury.

Given the influence of these factors on the return to practice, performance and premature abandonment of sports, there is a consensus of psychological recover after injury, promoting an early return to the previous level of performance.

O medo é definido como uma resposta emocional antecipatória a ameaças eminentes que pode ajudar a promover uma rápida aprendizagem adaptativa, quer por experiências diretas, ou por observação, ou ainda por instruções verbais.1 Partido deste mote, quando procura-se compreender a razão pela qual os sintomas persistem mesmo após a recuperação dos tecidos, pelo que o medo é um conceito a ter em atenção. Dentro deste quadro, que não é encarado como apenas um distúrbio, ou outro estado patológico, várias definições conceptuais têm surgido. Dentro destas, os modelos de fear avoidance e o conceito de medo do movimento (cinesiofobia) têm tido maior destaque, ambos promovem uma explicação para a evolução e persistência da incapacidade após um episódio de dor musculoesquelética aguda.2-6

A relação entre medo e dor foi pela primeira vez descrita por Lethen et al. 1982, no qual o autor relaciona as experiências físicas e psicológicas da dor num cenário em que a dor e o medo estão associados à aprendizagem de comportamentos de “escape” (avoidance).3,7 Cerca de uma década depois, Kori et al. apresentam a sua visão sobre a cinesiofobia, a qual é definida como uma condição em que o paciente apresenta um medo excessivo, irracional e debilitante do movimento e atividade, como resultado de um sentimento de vulnerabilidade a uma lesão dolorosa, quer nova, quer reincidente.3

Conteúdo exclusivo para subscritores

Se ainda não subscreveu a RFD, aproveite agora

Já é subscritor? Inicie Sessão

Recebemos a sua subscrição

Aguarde, por favor, até que a mesma fique concluída e poderá aceder a todo o conteúdo.