Select Page

ARTIGO

Fatores a Considerar na Reabilitação e Retorno à Atividade Desportiva Após Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior

RFD Nº08

FATORES A CONSIDERAR NA REABILITAÇÃO E RETORNO À ATIVIDADE DESPORTIVA APÓS RECONSTRUÇÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

Renato de Figueiredo

Fisioterapeuta – E-Fit · Estúdio de Electroestimulação, Torres Vedras

RESUMO

A lesão do ligamento cruzado anterior e o processo após a sua reconstrução cirúrgica são bastante frequentes em contexto desportivo, estando associadas a um período de afastamento considerável do atleta da competição. O sucesso da recuperação reside na qualidade da cirurgia em conjugação com uma intervenção da fisioterapia pré-operatória e pós-operatória bem definidas e personalizadas, com o intuito de minimizar o risco de recidiva e de restabelecer ao máximo as capacidades funcionais do atleta, permitindo um retorno à atividade desportiva com a máxima segurança.

PALAVRAS-CHAVE / KEYWORDS

Reabilitação, fisioterapia pós-operatória, joelho, ligamento cruzado anterior
Rehabilitation, postoperative physical therapy, knee, anterior cruciate ligament

ABSTRACT

The injury of the anterior cruciate ligament and the process after surgical reconstruction are very frequent in sports context, being associated to a considerable period away from the competition. The success of the rehabilitation lies on the quality of the surgery and on well-defined and personalized pre- and post-operative physical therapy interventions, looking to mitigate the risk of re-injury and to maximize the recovery of the athlete’s functional capacities, allowing a safe return to sports.

INTRODUÇÃO

O joelho é uma articulação muito afectada em termos lesionais no contexto desportivo, sendo o ligamento cruzado anterior (LCA) uma das estruturas com maior risco de lesão, sobretudo em desportos que envolvam saltos, rotações e rápidas mudanças de direcção.1,2

O LCA (figura 1) encontra-se entre o côndilo femoral lateral e a região ântero-medial do prato tibial, sendo composto, maioritariamente, por dois feixes: o ântero-medial (AM) e o póstero-lateral (PL), assim designados devido aos seus locais de inserção ao nível da tíbia. A principal função deste ligamento é oferecer resistência à translação tibial anterior, servindo também como meio de segurança para as rotações tibiais interna e externa.2

O mecanismo de lesão do LCA (figura 2) consiste, na maior parte dos casos, na torção com forças de rotação contrárias entre o fémur, rotação interna e adução do joelho, e a tíbia, rotação externa, associada a uma eversão tibiotársica e a um acentuar do valgo do joelho (mecanismo conhecido por valgo dinâmico), somando-se ainda a flexão de joelho de pequena amplitude. As características físicas do LCA e a violência das forças envolvidas no momento determinam a severidade da lesão, podendo ocorrer um estiramento (grau I), uma ruptura parcial (grau II) ou uma ruptura total (grau III).3-5

Conteúdo exclusivo para subscritores

Se ainda não subscreveu a RFD, aproveite agora

Já é subscritor? Inicie Sessão

Recebemos a sua subscrição

Aguarde, por favor, até que a mesma fique concluída e poderá aceder a todo o conteúdo.